PB: Casos confirmados de Covid-19 podem aumentar 328 porcento em uma semana

PB: Casos confirmados de Covid-19 podem aumentar 328 porcento em uma semana

Um painel de monitoramento criado pela Fiocruz Bahia prevê um aumento de 328% no número de casos de coronavírus na Paraíba em uma semana. O número deve sair de 35, que é o confirmado até as 10h30 desta segunda-feira, 6, para 150, no dia 13 de abril. Os dados são uma previsão e, para chegarem a esses números, os cientistas compararam experiências anteriores e observaram padrões de comportamento humano. Assim, fizeram a previsão de uma situação com uma margem de incerteza associada.

Conforme o gráfico apresentado pelo painel, os números devem começar a subir de dez em dez casos, em média, mas aumentando essa parcial no decorrer dos dias, podendo sair de 127 casos em um dia, para 150 no dia seguinte.

O painel é a primeira ação lançada pela Rede CoVida, uma iniciativa conjunta do Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde (Cidacs/Fiocruz Bahia) e da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que reúne colaboradores de diversas instituições científicas de forma solidária. Toda a plataforma de monitoramento foi desenvolvida por quatro profissionais, em colaboração com dezenas de pesquisadores, que atuaram remotamente ao longo de 10 dias.

O modelo matemático implementado pelo grupo traz dados que ajudam os gestores públicos a tomarem decisões baseadas em evidências científicas. -O gestor que observa um modelo pode se antecipar na quantidade de leitos, nos tipos de leitos, nos materiais necessários e recursos humanos a serem recrutados no preparo dos sistemas e assistência à saúde-, explica Juliane Oliveira, doutora em matemática pela Universidade do Porto e uma das responsáveis pela modelagem.

Além dos recursos físicos e humanos, os cálculos também contribuem para avaliar os efeitos de medidas sociais, como restrições de circulação de pessoas e fechamento de estabelecimentos comerciais não-essenciais. Por isso, o gráfico alerta que a tendência prevista pode ser alterada conforme as ações implementadas pelos estados.

Leia mais no G1

    Compartilhe: