Mundo produz comida suficiente, mas fome ainda é uma realidade

Mundo produz comida suficiente, mas fome ainda é uma realidade

Um estudo publicado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês) no dia 29 de abril de 2016 mostrou que a produção mundial de alimentos é suficiente para suprir a demanda das 7,3 bilhões de pessoas que habitam a Terra. Apesar disso, aproximadamente uma em cada nove dessas pessoas ainda vive a realidade da fome.

Um exemplo do tamanho do problema foi a declaração da Unicef na terça-feira, 21 de fevereiro de 2017, (Agência das Nações Unidas para a Infância) segundo a qual 1,4 milhão de crianças, de quatro diferentes países da África - Nigéria, Somália, Iêmen e Sudão do Sul -, correm risco iminente de morrer de fome. O Sudão do Sul declarou oficialmente, um dia antes, que é atingido por um -surto de fome-.

A pesquisa põe em xeque toda a política internacional de combate à subnutrição crônica colocada em prática nas últimas décadas. Em vez de crescimento da produção e ajudas momentâneas, surge agora como caminho uma abordagem territorial, que valorize e potencialize a produção local.
4 segundos

é o tempo que separa cada uma das mortes por fome no mundo, em média

Embora os números absolutos estejam caindo, o tema ainda é um dos mais delicados da agenda internacional. A questão é tão antiga quanto complexa, e se conecta intrinsecamente com a estrutura política e econômica sobre a qual o sistema internacional está construído.

Concentração da renda e da produção, falta de vontade política e até mesmo desinformação e consolidação de uma cultura alimentar pouco nutritiva são fatores que compõe o cenário da fome e desnutrição no planeta. Entenda abaixo as questões que envolvem o tema.

QUAIS são as definições para fome?

Existem diferentes estados de insuficiência alimentar categorizados, e todos eles afetam tanto o desenvolvimento daqueles atingidos quanto da sociedade e da economia do país. Essa é a classificação feita pela FAO, principal organização internacional a tratar do tema.

INSEGURANÇA ALIMENTAR

Situação de quem não tem garantia de acesso a quantidades suficientes de comida saudável e nutritiva para seu desenvolvimento normal. Causada pela inexistência de comida à disposição, falta de poder aquisitivo para a compra de alimentos ou uso inadequado da comida em casa. Pode ser crônica, temporária ou transitória.

MÁ NUTRIÇÃO

Condição fisiológica anormal, causada por consumo inadequado de nutrientes. Inclui desnutrição.

DESNUTRIÇÃO

Condição de absorção deficiente de nutrientes causada por repetidas doenças infecciosas.

SUBNUTRIÇÃO

Estado de incapacidade em obter comida suficiente para atingir os níveis mínimos de energia necessários para uma vida saudável e ativa.

FOME

Termo sinônimo de subnutrição crônica, ou seja, quando o estado de subnutrição dura por mais de um ano.

A fome é um fator presente ao longo de toda a história da humanidade, e ondas de mortes causadas pela falta de alimentos não eram algo incomum até pouco tempo atrás. A agricultura de subsistência sempre esteve sujeita a intempéries naturais, como enchentes, e secas, impactando o abastecimento das populações que dependiam de sua produção.

Historiadores indicam a Inglaterra como o primeiro país, ainda no século 17, a colocar em prática um esforço coletivo para superar a fome, acreditando ser esse um fator que impedia o seu desenvolvimento. Não por acaso, esse pensamento surge em meio ao processo de industrialização britânico, conhecido como a primeira revolução industrial.

A ideia de fome enquanto problema humanitário, contudo, é ainda mais recente. Segundo o historiador James Vernon, até por volta de 200 anos atrás, as pessoas com fome eram tratadas como uma situação natural, inevitável ou até mesmo necessária. O fator religioso também teve sua influência, e apesar de já existirem atos de caridade para ajudar pessoas famintas, havia uma visão geral na sociedade de que eram frutos da vontade divina.

“Naquela época, a fome era vista como uma coisa boa e necessária: ela ensinava aos preguiçosos e indigentes a disciplina moral do trabalho; ela os ensinava como entrar na modernidade enquanto indivíduos industriais, capazes de competir em uma economia de mercado e sustentar suas famílias”

James Varnon

Historiador, em sua obra ‘Fome - uma história moderna’

A interpretação de que a fome é um fator natural foi sendo superada ao longo dos últimos séculos, mas ondas de mortes continuaram acontecendo em momentos históricos recentes.


Leia mais no Nexo

    Compartilhe: