IBFC vai organizar concurso com mais de 2 mil vagas para Ebserh

IBFC vai organizar concurso com mais de 2 mil vagas para Ebserh

O Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) será a banca responsável pelo próximo concurso da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que deverá contratar mais de 2 mil profissionais em todo o país.
Acesse o chamamento público e o projeto básico do concurso nacionalAcesse o chamamento público e o projeto básico do concurso do HU-UFUSegundo a Ebserh, haverá vagas para o Hospital Universitário Lauro Wanderley, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), em Campina Grande, e Júlio Bandeira (HUJB), em Cajazeiras, ambos da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Serão dois grandes concursos, sendo um nacional, com 1.363 vagas em 40 unidades em todo o país, e um para o Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU), com 887 oportunidades. O objetivo é que os editais sejam publicados ainda neste semestre com o quantitativo de vagas para cada unidade da Rede Ebserh e as provas devem ser aplicadas no início de 2020.

As vagas são distribuídas entre as áreas médica, assistencial e administrativa, cada um com um edital normativo específico. Para concurso nacional, a expectativa é que sejam abertas 448 vagas para médicos em 69 especialidades, 800 oportunidades na área assistencial e 115 na administrativa. Já para o HC-UFU serão 173 para médicos de 71 especialidades, 614 para os assistenciais e 100 administrativos. Os projetos básicos preveem ainda a formação de cadastro reserva nas três áreas contempladas.

O concurso público acontece em duas fases, sendo que a primeira constará de prova objetiva, com questões de múltipla escolha. Esta etapa tem caráter eliminatório e classificatório. Na segunda fase, os candidatos vão passar por uma avaliação curricular de títulos e de experiência profissional, de caráter exclusivamente classificatório. Quem concorrer às vagas reservadas a pessoas com deficiência será submetido à perícia médica e aqueles que se autodeclararem negros passarão por um procedimento de heteroidentificação.

Leia mais no Portal Correio

    Compartilhe: