Creche do Legislativo inicia período letivo com adaptação de novos alunos

Creche do Legislativo inicia período letivo com adaptação de novos alunos

Creche Ângela Maria Meira de Carvalho da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) realizou a abertura do ano letivo, nessa segunda-feira (10), com a recepção dos novos alunos. As crianças foram recebidas pelos profissionais da instituição e participaram de atividades durante toda a manhã. A adaptação dos novos continua nesta terça-feira (11).

No primeiro dia de adaptação dos alunos, que têm apenas dois anos de idade, a coordenação pedagógica da creche destacou a importância da acolhida e a nova rotina programada para as crianças do Infantil II. -Esse é o momento mais importante para as crianças que estão chegando. Essa adaptação é crucial e se ela for bem feita, ela resulta em uma estadia e permanência da criança com qualidade e desejo de estar no local-, destacou a coordenadora Pedagógica da Creche, Luizyana Magda.

Para facilitar a adaptação dos alunos novatos, as aulas neste primeiro dia tiveram o objetivo de possibilitar a vivência em ambientes diferentes, deixando todos bem à vontade. -Nós também passamos a rotina das crianças aos pais para que eles possam adaptar elas em casa, como a questão do sono da tarde e a alimentação, para que elas não sintam dificuldade-, disse a coordenadora pedagógica Juliana Maciel. 
 -Tivemos um oficina com massinhas de modelar, pula-pula, entre outros brinquedos, além da dança. Após o término das oficinas, as crianças tomaram banho e almoçaram-, destacou Juliana Maciel.

Em seguida, nesta quarta-feira (12), será a vez dos alunos novatos estarem juntos com os veteranos. A instituição vai oferecer várias atividades de acolhimento para receber todas as crianças. A Escola Infantil do Poder Legislativo inicia o ano escolar com 170 alunos, com idade de dois a cinco anos.
 
-Eu fiquei bastante feliz com a estrutura e a receptividade dos funcionários da Creche. A presença da gente nesses primeiros dias é importante para a adaptação das crianças. Nós tivemos a oportunidade de brincar e fazer trabalhos em conjunto para facilitar o processo de acolhimento-, disse a mãe Raylissa Araújo.

Leia mais no site da ALPB

    Compartilhe: