Estudo aponta 7 sinais de que uma amizade chegou ao fim

Estudo aponta 7 sinais de que uma amizade chegou ao fim

Que as amizades não duram todas para sempre é claro para todos os adultos e uma investigação, realizada em 2004, confirma isso mesmo: a maioria das amizades nascidas durante o ensino secundário, por exemplo, podem não durar sequer um ano, Mas se algumas amizades feitas idade adulta duram efetivamente toda a vida, com benefícios para todos, outras nem por isso.

Como saber se é tempo de se "livrar" daquele amigo? Não existe um guia que dite como e o que fazer, mas a reflexão sobre algumas questões, elaboradas pela psicóloga Ellen Hendriksen, para o Business Insider, podem ajuda-lo a encontrar respostas para o dilema:

1) Essa amizade é uma transação?

Algumas pessoas estão consigo pelo que pode fazer por elas. Se tem um amigo que constantemente lhe cobra favores ou está sempre a pedir-lhe dinheiro emprestado ou mesmo tenta vender-lhe alguma coisa, fique alerta: em vez de uma amizade pode estar a viver simplesmente uma transação. Esta também pode, no entanto, ser mais subtil e tratar-se de uma "amizade" em que um dos envolvidos admira muito o outro, que, por sua vez, tolera a relação porque aprecia essa "injeção" de auto-estima.

2) Estão a desencaminhá-lo de hábitos saudáveis?

Em 2007, um estudo da New England Journal of Medicine observou a propagação da obesidade através de uma rede social constituída por mais de 12 mil pessoas. O estudo realçou a influência dos laços sociais nos comportamentos de saúde. Apesar de a experiência analisar um grupo de pessoas vasto, o mesmo pode passar-se em grupos mais pequenos. É comum que, em grupos de amigos, haja tendência para se desviarem uns aos outros de hábitos saudáveis, o que se pode tornar um problema sério se estiver a lutar para deixar o consumo de drogas os seus amigos forem um obstáculo.

3) Está a ser manipulado?

Esta é uma questão difícil de decifrar. Geralmente quando alguém é manipulado, só se apercebe quando já não está a viver essa situação. No entanto, esteja atento se tiver um amigo que o faz sentir-se mal consigo mesmo. Outra situação que o pode levar a concluir que esse amigo não lhe está a fazer bem é se agora que olha para si percebe que, inconscientemente, mudou a sua postura e o seu comportamento por essa pessoa – nomeadamente se se sente mais infeliz e mais inseguro. Se já não consegue definir o que sente por esse amigo e fica sem palavras quando lhe perguntam sobre a amizade, provavelmente a relação já conheceu melhores dias. Um estudo do ano passado revelou que a manipulação emocional fazia com que a amizade não se desenrolasse segundo as características comuns, como expressar ideias e sentimentos pessoais, proporcionar conforto em momentos difíceis ou simplesmente divertirem-se juntos.

4) São amigos apenas porque são parecidos um com o outro?

Muitas vezes, o facto de as pessoas apresentarem vidas semelhantes ou traços da personalidade idênticos leva a que se force a relação de amizade. Um estudo realizado em 2012, mostra que essa simetria de características não é boa para a amizade. O estudo avaliou 1.400 pessoas: algumas tinham amizades com pessoas de raça, orientação sexual e sexo diferentes e outras não tinham. A pesquisa concluiu que as pessoas que tinham amizades "inter-categoria" desvalorizaram a história de vida, os valores e as experiências semelhantes e concentraram-se no que verdadeiramente constrói a relação: confiança, honestidade, respeito e companheirismo.

5) É o único a contribuir para a relação?

Se para si está sempre tudo bem, mesmo quando o seu amigo desmarca compromissos para ir fazer outra coisa; quando não cumpre com o prometido ou até mesmo quando não lhe devolve o que lhe emprestou... ou se, por outro lado, é o único que sugere programas e os idealiza segundo o bem estar do seu amigo, mas sabe que ele não faria o mesmo por si, provavelmente, a relação não está equilibrada e é o único a fazer esse esforço.

6) Podem contar um com o outro?

Esta é a questão mais comum, mas é importante refletir. Os conceitos "recíproco", "mútuo" e "partilha" estão muitas vezes associados a estudos sobre a amizade e se nenhum destes termos lhe vem à cabeça quando fala do seu amigo, talvez seja melhor pensar se vale a pena continuar com a relação. As boas amizades são baseadas em equilíbrio e apoio mútuo. Mesmo as diferenças entre as pessoas podem ser benéficas para manter a amizade.

7) Pode ser você mesmo?

Estudos realizados durante décadas, afirmam que ligar-se a pessoas com as quais pode ser verdadeiro é dos maiores contributos para a saúde e felicidade. Se pensa duas vezes antes de agir de determinada forma e muda o seu comportamento na presença da outra pessoa, então não lhe pode chamar amigo.

Leia no portal VISÃO.

    Compartilhe: