Aliados de Cartaxo dizem que movimentação de Romero fortalece grupo de Ricardo

Aliados de Cartaxo dizem que movimentação de Romero fortalece grupo de Ricardo

As declarações do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) de que a gestão do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), o credencia para disputar o governo gerou desconforto na base aliada. As críticas vêm justamente de pessoas próximas ao prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD). Os dois disputam a indicação dos partidos de oposição para concorrer à sucessão do governador Ricardo Coutinho (PSB). Está em jogo o aval de PSD, PSDB e PMDB. O movimento deles, no entanto, tem apontado para a iminência de um racha. Questionado frontalmente, Cartaxo nega desconforto. Diz que não é candidato e que o tema será discutido no momento próprio. Seus aliados, no entanto, expõem visão diferente.



“Esse papo de que as lideranças de Campina Grande estão fechadas com a candidatura de Romero Rodrigues, que a cidade precisa ter um nome para a disputa é ultrapassado. Só beneficia o grupo de Ricardo Coutinho. Cássio errou em 2014, achando que ganharia fácil. Ele admite isso hoje. E erra de novo ao achar que o outro lado não terá ninguém para a disputa”, disse, em reserva, um dos aliados mais próximos do prefeito Luciano Cartaxo. O pessedista, assim como Romero Rodrigues, tem usado os dias de folga para se reunir com prefeitos. Desde o início do ano, foi a pelo menos 20 cidades e se reuniu com nada menos que 40 prefeitos paraibanos. A maioria deles integrante de partidos da base aliada. Muitos, inclusive, também tiraram fotos ao lado de Romero.



O grupo de Luciano Cartaxo traça a estratégia de ampliar as visitas a cidades do interior. Eles fazem a seguinte conta: o prefeito de João Pessoa tem grande aceitação na Região Metropolitana, por causa da reeleição na capital, e ainda possui raízes no Sertão. Apesar de radicado na capital, onde construiu a sua carreira política, Cartaxo é natural de Sousa. O gestor, inclusive, costuma lembrar que o último prefeito sertanejo da Paraíba foi Antônio Mariz, falecido em 1995, pouco depois de tomar posse. O bunker pessedista ressalta também que desde a eleição de Ricardo para o governo, a população de João Pessoa se afeiçoou com candidaturas da capital. Eles pretendem investir nesse filão.




Vários sinais apontam para a rota de colisão entre os grupos de Cartaxo e Cássio, apesar das negativas. Um deles foi a agenda colada do presidente estadual do PSD, Rômulo Gouveia, com o prefeito Romero Rodrigues. Eles foram juntos a várias cidades. O fato causou desconforto entre os pessedistas da capital. Cartaxo, vale ressaltar, também não foi convidado por Romero para o São João de Campina Grande. Rômulo, por outro lado, demonstra irritação com a cobrança. Ele lembra a história de proximidade que tem com Romero, desde o início da vida política. O deputado federal, inclusive, assegura que a candidatura própria é prioridade do PSD.



Alheio às queixas dos pessedistas, vale ressaltar, o Romero Rodrigues tem partido em busca de apoios. Na agenda de visitas a prefeitos, posou para fotos na semana passada ao lado do prefeito de Piancó, Daniel Galdino, do mesmo partido de Cartaxo. O grupo coeso formado para as eleições de 2016, ao que parece, caminha para o esfacelamento.


BLOG DO SUETONI

    Compartilhe: